Café da manha & brunch/ Grande caçarola/ Grandes chefs/ Pratos principais/ Sabores orientais/ Saudável/ Vegetariano

Shakshuka (Jerusalém – Ottolenghi)

Shakshuka (Jérusalem - Ottolenghi)

Cenas da vida

Voltando das férias!

Agora que nossa pequena e deslumbrante excursão ao norte de Quebec terminou, para mim restaram as alegrias de desfazer as malas, das pilhas de roupas e da geladeira vazia. E fora de questão ir fazer compras depois de horas dirigindo e das crianças exaustas. Mas, felizmente, meu congelador está sempre bem abastecido. Eu descobri uns pimentões e uns tomates congelados, adicionei a eles alguns ovos (sempre tenho uma caixa na geladeira), e aí está! Temos a base da famosa receita de Shakshuka. Uma receita do Ottolenghi… já faz um tempo que não fazemos, não é? Há inúmeras receitas de Shakshuka, esta aqui é de seu livro Jerusalém (um dos meus preferidos).

Sobre o Shakshuka

Eu já lhes apresentei o Shakshuka no blog, com esta receita de Chakchouka de espinafres (estou perdida em como escrever esta palavra, existem tantas formas…). Embora as variações sejam infinitas, esta que proponho a vocês hoje é provavelmente a mais clássica, com tomates e pimentões. Adicionei a eles algumas azeitonas pretas e um pouco de feta (que se arrastavam em minha geladeira), você pode desconsiderá-los ou modificá-los ao seu gosto.

A receita é simples, do tipo panela única (cozinha-se tudo na mesma frigideira). Gosto da gema de ovo bem mole, então, não cozinho por muito tempo, mas você pode cozinhar por mais tempo para ter os ovos mais firmes.

Ottolenghi recomenda utilizar pipelchuma. O que é isso? Trata-se de um condimento, uma pasta de alho apimentada utilizada na culinária israelense (originária da comunidade judaica libanesa). Na falta dele, sugiro utilizar harissa (que certamente eu tenho muito mais fácil à mão).

Ottolenghi serve o Shakshuka com labneh ou iogurte, eu servi simplesmente com pão fresco, é perfeito para mergulhar no molho e nos ovos amolecidos.

Shakshuka (Jérusalem - Ottolenghi)

Shakshuka (Jerusalém – Ottolenghi)

Outra maravilha do Ottolenghi, este prato estilo panela única alia facilidade e prazer no paladar. Ideal para um brunch ou uma sopa leve, com um bom pedaço de pão fresco acompanhando, e todo mundo vai se deliciar!
Course: Café da manhã e Brunch
Cuisine: Oriental
Keyword: Receita fácil, Receita vegetariana
Portions 4
Prep Time: 10 minutes
Tempo de cozimento: 30 minutes
Print Recipe

Équipements

Ingredients

  • 400 g de pimentões cortados em lâminas grossas (amarelos e laranjas para mim)
  • 5 grandes tomates maduros (cerca de 800 g) (ou em conserva ou congelados)
  • 6 a 8 ovos
  • 100 g de feta
  • 4 dentes de alho amassados
  • 2 colheres de café de massa de tomate
  • 1 a 2 colheres de sopa de harissa, a gosto (ou pilpelchuma)
  • 1 colher de café de cominho em pó
  • 10 grandes azeitonas Kalamata sem caroço
  • azeite de oliva
  • sal e pimenta a gosto

Instructions

  • Despeje um fio de azeite na frigideira e deixe aquecer em fogo médio.
  • Adicione o harissa (ou o pilpelchuma), a massa de tomate, os pimentões, o alho, o cominho e o sal a gosto. Deixe reduzir por cerca de 8 minutos.
  • Adicione os tomates. Uma vez que a mistura ferver, deixe cozinhando até engrossar o molho, cerca de 10 minutos (mais se os tomates estiverem congelados). Divida as azeitonas no molho.
  • Faça 8 pequenos buracos no molho e quebre um ovo em cada um. Com a ajuda de um garfo, misture a clara delicadamente para incorporá-la ao molho. Deixe cozinhar durante 10 minutos, até que a clara esteja cozida e a gema ainda mole (ou mais se você quiser os ovos mais firmes).
  • Polvilhe o queijo feta esfarelado, sal e pimenta a gosto.
  • Sirva com fatias de pão fresco ( e com iogurte, ou labneh, à moda Ottolenghi)

You Might Also Like